Modelos de vestidos para todos os tipos de noivas

Para ajudar na difícil tarefa de escolher o modelo de vestido perfeito para o grande dia, o Blog do Castelo traz algumas inspirações das noivinhas que realizaram esse sonho aqui! E para começar, um modelo princesa tomara que caia com bordados e pérolas para as noivinhas elegantes. 

Uma opção mais ousada e perfeita para casamentos de dia é o modelo semisereia com fenda na perna. Além desse detalhe deslumbrante, as alças finas trazem equilíbrio para o vestido, já que a atenção não estará no busto.

Outro modelo de vestido de casamento queridinho entre as noivinhas que sonham em se casar durante o dia é o famoso rendando. Ele é delicado, romântico e combina muito com coroas de flores!

Com mais volume e camadas, os famosos vestidos inspirados em bailarinas ganharam o coração de muitas noivinhas, pois são delicados e perfeitos para as princesas mais jovens. 

E para fechar essa lista de inspirações, separamos dois vestidos de noiva que já são tendência em 2018: um clássico longo com mangas curtas e bordados delicados por toda a peça e outra opção deslumbrante com tule, transparências e bordados luxuosos.

Continue acompanhando o nosso Blog e confira mais dicas para tornar o seu grande dia ainda mais especial!

Curiosidades da história de Petrópolis

Conteúdo extraído, na íntegra, do site AGP TUR.

Curiosidades

  • Para se chegar a Petrópolis, vindo do Rio de Janeiro, é necessário se transpor um paredão de pedra que faz parte da Serra dos Órgãos que nesse trecho é chamada de Serra da Estrela. A Serra da Estrela recebeu esse nome porque, à noite, os viajantes que seguiam do Rio de Janeiro para Minas Gerais ou vice e versa, viam a estrela Vésper localizada sobre o alto da serra e ela lhes servia de guia
     
  • Muitos visitantes da cidade de Petrópolis não entendem os nomes de alguns bairros da cidade. Mas na verdade, esse nomes se referem à cidades de origem de onde muitos colonos germânicos vieram.
     
  • Você sabia que Petrópolis já foi Capital do Estado do Rio de Janeiro? Em 6 de setembro de 1893 ocorreu no Rio de Janeiro a Revolta da Armada em Niterói, então Capital do Estado do Rio de Janeiro. Devido a esse acontecimendo, todas as comunicações foram cortadas entre Rio e Niterói. Assim, a capital foi transferida para Petrópolis em 20 de fevereiro de 1894 e aqui permaneceu até 4 de agosto de 1902, mas a transferência definitiva para Niterói só ocorreu no ano seguinte.
  •  O único Presidente da República a se casar durante o exercício de suas funções foi Hermes da Fonseca com a caricaturista Nair de Teffé em 8 de dezembro de 1914 no Palácio Rio Negro, em Petrópolis, localizado na Avenida Koeler.
Casamento de Nair de Teffé com Marechal Hermes da Fonseca no Palácio Rio Negro em Petrópolis.

O Tratado Petrópolis, onde o Brasil comprou da Bolívia o atual Estado do Acre em 1903, tem esse nome por que foi assinado na cidade de Petrópolis, na casa onde veraneava o então Barão do Rio Branco, diplomata brasileiro.

Assinatura do Tratado Petrópolis.

Antes do Museu Imperial ser fundado, depois da partida da Família Imperial para o exílio, no edifício funcionaram duas escolas: A Notre Dame de Sion, que lá permaneceu de 1892 a 1908; e o Colégio São Vicente de Paulo, de 1909 a 1940.

Colégio São Vicente de Paulo quando ainda funcionava no prédio do atual Museu Imperial.

O Palácio Quitandinha tem esse nome, pois em seu lugar havia uma fazenda com uma pequena quitanda onde se podia adquirir produtos agrícolas produzidos na fazenda para os viajantes quando Petrópolis era caminho para o interior do país.

Casa da Fazenda Quitandinha.

O lago do Quitandinha tem o formato aproximado do mapa do Brasil e ele foi construído para ser um balneário. Era composto por diversas atividades esportivas, inclusive uma praia artificial com areia vinda de Copacabana.

Praia artificial no lago do Quitandinha.

O Trono de Fátima foi projetado por Heitor da Silva Costa, o mesmo engenheiro que projetou uma das Sete Maravilhas do Mundo Moderno: o Cristo Redentor, no Rio de Janeiro.

Trono de Fátima, projetado por Heitor da Silva Costa.

Em 1920 foi construído o Castelo de Itaipava, único na América Latina no estilo renascentista e quem o projetou foi o mesmo arquiteto de Brasília: Lúcio Costa.

Castelo projetado por Lúcio Costa.

Primeira sessão de cinema com exibição de filmes dos irmãos Lumière (os inventores do cinematógrafo e por isso conhecidos como “os pais do cinema”) aconteceu em Petrópolis em 1897.

Cinematógrafo de Lumière.

Cenário medieval na telinha da Rede Globo

Famosa por suas novelas de época, a Rede Globo agora traz uma novidade para a telinha: “Deus Salve o Rei”. Inspirada em grandes obras da literatura mundial, o folhetim também traz referências de séries famosas, como “Game of Thrones”, “Vikyngs”, “The Last Kingdon” e muitas outras.

Fonte: cadernomercado.com.br

Narrando a história entre os reinos, a nova novela das 19h traz um triângulo amoroso entre o atrapalhado herdeiro do trono de Montemor, a gananciosa herdeira do trono de Artena e uma linda plebeia. E apresenta a atriz Bruna Marquezine estreando sua primeira vilã.

Catarina (Bruna Marquezine), Afonso (Rômulo Estrela) e Amália (Marina Ruy Barbosa)
Fonte: Divulgação/TV Globo

Para criar toda a ambientação medieval, o departamento de computação gráfica da Rede Globo vem trabalhando com diversas imagens captadas na Europa. Inclusive, o reino de Montemor foi inspirado numa linda região da Espanha, Pals.

Divulgação Castelo de Artena, um dos cenários da nova trama das sete da Rede Globo
Fonte: Uol

Dessa forma, o projeto vem movimentando uma grande equipe de profissionais empenhados em levar o máximo de realidade para as telinhas dos brasileiros.

Ficou curioso para conhecer os detalhes dessa época de disputas de tronos, amores avassaladores e grandes vilões? Enquanto a novela vai se desenrolando, conheça o único e autêntico Castelo Medieval das Américas, fazendo o nosso tour virtual: http://bit.ly/CateloDeItaipavaTourVirtual

Festas prontas: pensamos em cada detalhe do seu grande dia

Espaço, buffet, decoração, iluminação, fotos, trajes dos noivos, paleta de cores, dia da noiva… Quando decidimos subir ao altar, precisamos dar conta de tantos detalhes que às vezes nem sabemos por onde começar, certo?

Foi pensando nisso que criamos nossas festas prontas para garantir que você apenas curta o seu grande dia, já que nossa equipe cuidará de todos os detalhes! A Aline e o Ricardo optaram por essa comodidade e o resultado desse momento incrível você confere no nosso YouTube! É só clicar: http://bit.ly/CasteloAlineERicardo

Inspirações de acessórios para um casamento personalizado

O Blog do Castelo traz hoje uma seleção de lindos acessórios para você deixar o seu grande dia ainda mais especial! Para começar, que tal esta dupla deslumbrante:

A combinação entre coroa e brincos em pedrarias transforma qualquer noivinha numa verdadeira princesa! Essas joias são indicadas para casamentos à noite e, por já serem o foco do look, dispensam outros complementos, como colares e pulseiras.  

Para as princesas mais delicadas e que sonham em um casamento de dia, a dica é apostar em itens mais discretos, como os charmosos anéis de falange que deixarão suas mãos ainda mais lindas para receberem a aliança.

Os sapatos são outro detalhe superimportante para o grande dia e motivo de indecisão entre muitas noivas! Então, aposte em um modelo confortável e que combine com o restante dos acessórios. Uma dica importante é equilibrar o visual, ou seja, se o destaque serão as joias, escolha um calçado mais discreto e vice-versa.

E para fechar as inspirações de hoje, uma opção divertida para os super-noivos é apostar em camisas temáticas em parceria com os padrinhos. A ideia deixa o look moderno e rende fotos muito divertidas!

O que fazer (e comer) no Castelo de Itaipava em Petrópolis

Construído em 1920 pelo Barão J. Smith de Vasconcellos, o Castelo de Itaipava ficou famoso por ser uma reprodução fiel de um castelo renascentista, projetado pelo arquiteto Lúcio Costa e seu amigo, Fernando Valentim.

Com 42 cômodos distribuídos em 19 quartos, diversos salões, bibliotecas, sala de música, halls, duas torres, diversos terraços, dependências para hóspedes, ala dos serviçais e galerias que abrigam interessantes histórias, nosso espaço se tornou referência nos segmentos de eventos, hotelaria e gastronomia.

Oferecendo um serviço completo com decoração, buffet, iluminação, sonoplastia, dia da noiva e hospedagem, o Castelo de Itaipava vem ganhando espaço na área de eventos e se tornou uma das casas de festas mais cobiçadas da serra para a realização de casamentos, 15 anos, bodas e eventos corporativos.

No quesito luxo e conforto, nosso Hotel oferece 25 lindas suítes temáticas que proporcionarão momentos inesquecíveis a dois ou em família. Inclusive, somos o 3º melhor hotel de Itaipava, segundo o TripAdvisor!

E como boa culinária não poderia faltar, o Bistrô do Castelo oferece requinte e alta gastronomia num ambiente aconchegante e lindíssimo com música ao vivo e uma excelente carta de vinhos e cervejas com rótulos especiais. Dessa forma, somos o 2º melhor restaurante de Itaipava! Venha nos fazer uma visita e descobrir o mundo de experiências inesquecíveis que podemos proporcionar!

Casamentos de dia em um Castelo original na Serra

Casamentos de dia em um Castelo original na Serra

Cada vez mais noivas buscam realizar seus casamentos durante o dia e celebrar essa data mais que especial em ambientes com muita natureza, beleza e romantismo. Além de ser uma boa oportunidade de realizar um casamento diferente é uma ótima opção para a logística de convidados e agendamento com os fornecedores pelas datas.

Noivos de todo o país vem escolhendo o Castelo de Itaipava para realizar casamentos de dia ao ar livre, proporcionando um dia inesquecível, embalados pelo romantismo da Serra, da natureza e da arquitetura única de um verdadeiro castelo medieval.

Para realizar estas cerimônias encantadoras, no jardim do Castelo de Itaipava foi montada a estrutura de um gazebo em meio as árvores centenárias, com cenário cinematográfico de frente para o portão principal do castelo. Os noivos e padrinhos podem realizar sua entrada para a cerimônia, através dos portões originais de madeira de jacarandá, atravessando a ponte e chegando no gazebo.

Todo o gazebo é branco e possui lustres encantadores e paisagismo especialmente montados para as diferentes ocasiões. Com isso o local, por si só, já possui beleza sem igual e uma ótima base para acrescentar a decoração dos sonhos de cada casal de noivos.

Conteúdo publicado originalmente no site Zankyou.

Casamento temático em estilo medieval

Pra celebrar a chegada do Carnaval, preparamos um #tbt inesquecível de um casamento temático realizado aqui no Castelo, com direito a decoração e cavalaria medieval – E claro, todo o luxo e o requinte da nobreza!

Na decoração da festa, os tons de azul prevaleceram em referência à nobreza:

Até o manto dos noivos foi especialmente elaborado com essa tonalidade:

Além disso, elementos da Idade Média, como armaduras e suntuosos espelhos foram utilizados pra levar os noivos e seus convidados numa incrível viagem no tempo:

A festa foi realizada no nosso luxuoso Espaço Cristal, que ganhou uma decoração digna da nobreza, com imponentes arranjos florais, perfeitamente harmonizados com os nossos lustres deslumbrantes!

E pra exaltar ainda mais a magia desse momento, os noivos foram recebidos com uma típica dança medieval:

Após as festividades, o casal eternizou essa grande noite com um ensaio fotográfico de tirar o fôlego, e uma romântica lua de mel no Hotel do Castelo.

Realize seu sonho com a gente! Afinal, um verdadeiro rei e sua rainha merecem o Castelo de Itaipava como cenário pra eternizar esse amor!

Decoração e Buffet: Castelo de Itaipava

Arquivo nobiliárquico brasileiro – Organizado pelo Barão de Vasconcellos

Trecho extraído do livro “Arquivo Nobiliárquico Brasileiro”.

Dedicado a sua alteza imperial, o Senhor Dom Luiz de Orléans Bragança, a obra “Arquivo Nobiliárquico Brasileiro” foi escrito por Rodolfo Smith de Vasconcelos, segundo barão de Vasconcelos, e seu filho, Jaime Smith de Vasconcelos, terceiro barão de Vasconcelos. Publicado em 1918 em Lausana, da Suíça, o livro versa sobre os títulos nobiliárquicos do Brasil e apresenta ilustrações heráldicas elaboradas por Fernando James Junod e todos os brasões concedidos no período imperial brasileiro, devidamente registrados no Cartório da Nobreza.

Rodolpho Smith de Vasconcellos, (2º Barão de Vasconcellos), nasceu na cidade de Fortaleza, capital da Província do Ceará em 23 de Maio de 1846. Filho do 1° Barão de Vasconcellos, José Smith de Vasconcellos (nascido em Lisboa, em 10 de Dezembro de 1817 e falecido no Rio de Janeiro em 8 de outubro de 1903), Fidalgo Cavalleiro da Casa Real, Commendador da Imperial Ordem da Rosa e da de Christo de Portugal; e de sua mulher, D. Francisca Carolina Mendes da Cruz Guimarães  (nascida na cidade de Canindé, Ceará, em 21 de Dezembro de 1814 e falecida em Liverpool, Inglaterra, em 4 de agosto de 1873). Neto por parte paterna do Conselheiro, Desembargador José Ignacio Pacs Pinto de Souza e Vasconcellos, Cavalleiro Professor na Ordem de Christo, Escudeiro Fidalgo, acrescentado a Fidalgo Cavalleiro por sucessão aos seus maiores (Alvará de 14 de março de 1795); e de D. Maria Martha Tusten Smith. Neto por parte materna do Capitão-Mór José Mendes da Cruz Guimarães e de D. Angélica Rosa do Nascimento Moreira. Quanto à sua ascendência, vide “Resenha das Famílias Titulares e Grandes de Portugal”, por Adriano da Silveira Pinto, continuada pelo Visconde de Sanches de Baéna, Tomo II, fls. 723; “Diagramma Genea¬lógico do Dr. José Ignácio Paes Pinto de Souza e Vasconcellos”, pelo Barão de Vasconcellos publicado no Rio de Janeiro em 1907; “Traços Biographicos do Visconde de Guaratiba”, também pelo mesmo, publicado em Nova Friburgo em 1905; “Memórias Historico-Genealógicas”, por João Carlos Feo de Cardoso Castello Branco e Tavares, fls. 642, publicado em Lisbôa em 1883; “Subsídios Historico-Genealógicos da Familia Vasconcellos”, pelo Visconde de Faria, em Lisboa no ano de 1912; e o “Dicionário Bio-Bibliográfico Cearense”, pelo Barão dc Studart, vol. III, fls. 95, publicado em Fortaleza no ano de 1915.

Casou na cidade de Bonn, Alemanha, a 20 de Abril de 1874, com D. Eugenia Virgínia Ferreira Felicio (nascida no Rio de Janeiro em 13 de Novembro de 1854, e ainda viva); filha dos 1ºs. Condes de São Mamede, Rodrigo Pereira Felicio (nascido em S. Mamede de Infesta, Portugal, em 22 de Janeiro de 1821 e falecido no Rio de Janeiro em 27 de Julho de 1872), Fidalgo Cavalleiro da Casa Real; Dignitário da Imperial Ordem da Rosa; Comendador da Ordem de Christo, de Portugal, e da do Santo Sepulcro de Jerusalém; e de sua mulher e prima D. Joanna Maria Ferreira (nascida na cidade do Rio Grande do Sul, a 20 de abril de 1834 e falecida em Lisboa, a 18 de março de 1897). A 2ª Baroneza de Vasconcellos, é irmã de José Pereira Ferreira Felicio, 2° Conde de S. Mamede, (nascido na cidade do Rio de Janeiro em 4 de outubro de 1853 e falecido em Lisboa, a 14 de junho de 1905), casado com D. Lydia Smith de Vasconcellos (nascida em Fortaleza em 16 de julho de 1853, e ainda viva), filha dos 1ºs Barões de Vasconcellos; é também irmã de D. Maria Julieta Ferreira Felicio (nascida no Rio de Janeiro em 20 de novembro de 1865, e ainda viva) casada com Francisco de Azevedo Soares de Campos e Castro, 2º Conde de Carcavellos, residentes em Braga. É igualmente sobrinha neta de Joaquim Antônio Ferreira, Visconde de Guaratiba, (nascido em Valença do Minho em 4 de Fevereiro de 1777 e falecido no Rio de Janeiro em 1 de março 1859). Os 2º Barões de Vas­concellos são pais do 3º Barão, por Breve Apostolico de S. S. Benedicto XV, de 13 de fevereiro de 1917, o Dr. Jayme Luiz Smith de Vasconcellos que nasceu, no Rio de Janeiro, em 11 de Junho de 1884.

O Barão Smith de Vasconcellos, acima, é Bacharel em Ciências e Letras pelo antigo Colégio D. Pedro II em 1901, Doutor em Ciências Médicas e Cirúrgicas pela Faculdade do Rio de Janeiro, em 1906; exerceu quando estudante o cargo de auxiliar da Comissão de profilaxia da febre amarela (em 1904), sobre a direção do Dr. Oswaldo Cruz, foi mais tarde médico da Diretoria Geral de Saúde Pública, médico do Instituto Nacional dos Surdos Mudos, chefe da Clínica de Moléstias Tropicais da Policlínica Geral do Rio de Janeiro, etc. Abandonando a carreira médica depois de exercê-la durante seis anos, dedicou-se às indústrias, sendo hoje um dos Diretores da Cia Mecânica e Importadora de S. Paulo.

É sócio da Sociedade de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro; do Club de Engenharia; da Sociedade de Heraldica da Suissa; do Tombo Historico-Genealogico de Portugal, da Sociedade Arcadia Romana, do Collegio Araldico de Roma, etc.

Casou em S. Paulo em 21 de junho de 1911 com D. Anna Theresa Siciliano, natural da cidade de Piracicaba, onde nasceu em 27 de março de 1887; filha primogenita do Conde Alexandre Siciliano, Commendador da Coróa de Italia, natural da cidade de S. Nicolla Arcella, província de Coscnza, Italia, onde nasceu em 17 de maio de 1860; e de sua mulher D. Laura de Mello Coelho, que nasceu na cidade de Campinas em 18 de maio de 1860 e faleceu em S. Paulo, em 28 de maio de 1918, filha do Coronel João Fructuoso Coelho e de D. Anna Maria Ferraz.

O 2º Barão de Vasconcellos cursou humanidades em Francfort s/Meno, na Allemanha. Fez parte das casas comerciais de seu pai no Ceará, em Liverpool e Londres. Dedicou-se depois à carreira diplomática e prestou exame de suficiência em 18 de maio de 1877. Abandonando essa carreira foi Director de várias empresas industriais. É Fidalgo Cavaleiro da Casa Real por sucessão aos seus maiores, Comendador da Ordem de Isabel a Catholica, de Hespanha, Socio do Instituto do Ceará e de outras associações historicas e scintíficas.

BRAZÃO DE ARMAS: Escudo partido em pala: na primeira, as armas dos Vasconcellos, — em campo negro, três faxas viradas e contraviradas de prata e góles; na segunda, as dos Guimarães. — que são partidas em três palas: a primeira e terceira, de prata fretadas de negro, a segunda de góles, carregada de um leão de prata, batalhante armado de preto, tendo na mão uma espada ensanguen­tada, com os copos de ouro, a qual há de cair na primeira pala, e a cauda do leão na terceira. E por diferença uma brica de ouro com uma arruela azul. Tiunir: dos Vasconcellos. um leão preto, andante com as três faxas do escudo. (Brazão passado em 24 de Dezembro de 1874. Reg. no Registro Geral dos Brazões de Armas de Nobreza e Fidalguia de Portugal, Liv. IX, fls. 165*.

BRAZÃO DE ARMAS DA BARONEZA: Uma lisonja esquartelada com as armas de seu marido, e as de seu pai, que são: Escudo partido em pala; na primeira as armas dos Pereiras, — em campo vermelho, uma cruz de prata florida e vazia do campo; na segunda as dos Ferreiras, — em campo vermelho, quatro faxas de ouro. E por diferença uma brica de prata com uma arruela azul. Tiunir: dos Pereiras, uma cruz vermelha florida, entre duas azas de ouro abertas. (Brazão passado em 7 de Janeiro de 1862. Reg no Registro Geral dos Brazões dc Armas de Nobreza e Fidalguia dc Portugal, Lív. IX, fls. 45).

CORÓA: A de Barão.
 
CRIAÇÃO DO TITULO: 
Brasão por decreto de 8 de Abril e Carta de 13 de Abril de 1869 Reg no Archivo da Torre do Tombo Mercês de D. Luiz I, Liv. 19, fls. 238. Concessão da 2ª vida no mesmo título, Decreto de 9 de Abril e Carta Regia de 7 de Maio de 1874. Reg. no Archivo da Torre do Tombo Mercês do D. Luiz I, Liv. 25, fls. 225. Confirmação da 2ª vida no mesmo título. Carta Imperial de 3 de Setembro de 1874. Reg. no Livro de Mercês da 2ª Seção da Secretaria dc Estad, dos Negócios do Império, em 15 de Setembro de 1874. Concessão da 3ª vida no mesmo título, Mercê de S. S. Benedicto XV, Breve Apostólico de 13 de Fevereiro de 1917.