Bolo de Casamento: origem e curiosidades

O bolo é a sobremesa nupcial mais importante e deliciosa de qualquer cerimônia! É o destaque da mesa de doces, com toda sua imponência e decoração de cair o queixo. Ele já passou por diversas reinvenções: desde o clássico fondant até o naked cake; dos inúmeros andares até os mais simples. Mas vem cá, você sabe como começou a tradição do bolo de casamento? Você conhece seus significados?

Origem

A origem do bolo de casamento remonta à Roma Antiga, quando eram utilizados pães de trigo e sal durante a cerimônia. O noivo comia meio bolo, partia metade na cabeça da noiva e os convidados comiam as migalhas. Esse ato simbolizava o rompimento da virgindade, o domínio masculino e a fertilidade. Já os gregos, por volta do século IX a.C., preparavam um pão à base de mel com frutas secas e gengibre para celebrar a família.
Foi só a partir do século XVII que os bolos começaram a ser feitos como hoje em dia. Na Inglaterra, era costume empilhar vários bolos confeitados, mas devido à falta de estabilidade, a ideia foi abandonada e eles começaram a produzir bolos únicos. Foi durante esta época que surgiu o bolo branco. No entanto, o açúcar utilizado era bastante escasso e, portanto, caro. Sendo assim, o bolo de casamento branco começou a ser visto como sinal de status. Na Era Vitoriana (século XIX), os bolos foram ficando mais complexos. Vários andares, texturas e padronagens diferentes, bem como decorações com frutas, flores, folhagens e até pérolas.

Todavia, somente na segunda fase da Revolução Industrial, com a chegada da farinha de trigo refinada e do fermento, que as massas dos bolos perderam a característica pesada, densa e começaram a ficar mais leves e delicados. Durante a Segunda Guerra Mundial (1939-1945), em razão do racionamento de insumos, os bolos falsos surgiram. Na mesa ficava o de mentira e o bolo real, bem simples e modesto, ficava em outro lugar. Hoje em dia, muitas cerimônias utilizam esse esquema, mas muitas vezes para facilitar a distribuição do doce aos convidados e impedir que o bolo estrague.

Tradições

Corte do bolo: simboliza a primeira tarefa que os noivos realizam juntos após a oficialização do matrimônio. Antigamente, esta era tarefa apenas da noiva, mas como os bolos eram muito pesados, a ato passou a ser responsabilidade do casal. Hoje em dia, é um dos momentos mais esperados da cerimônia! Os noivos podem preparar um discurso de agradecimento e personalizar o momento. Uma outra tradição relacionada ao bolo é a do corte feito com a ajuda de uma espada, representando a força na união.

Congelar o bolo: muitos casais costumam guardar e congelar o andar superior do bolo para voltarem a comê-lo no primeiro aniversário de casamento.

Amuletos da sorte: hoje em dia não é mais comum, mas a tradição de colocar amuletos da sorte dentro do bolo já foi uma tradição bem forte. Corações, trevos de quatro folhas ou ferraduras eram “escondidos” dentro do bolo como sinal de boa sorte ou amor eterno. O convidado que encontrasse o artefato e fosse solteiro seria o próximo a casar.
Andares: antigamente, quanto mais andares um bolo tivesse, mais status as famílias demonstravam. No entanto, esta tradição foi mudando e, hoje, o bolo de casamento com três andarem tornou-se o mais tradicional. O primeiro andar significa o noivado (o compromisso), o segundo, o casamento e o terceiro, a eternidade.

castelovps

castelovps

Deixe um comentário

Sobre o Castelo

O casamento dos seus sonhos, renovação de votos, aniversários e outros eventos em um ambiente medieval, com estrutura completa para você não precisar se preocupar com nada em 24 parcelas fixas sem juros. Fale agora com uma consultora do Castelo.

Últimos Posts

Segue aí

Sonhos no Mundo Real

Receba as novidades

Cadastre o seu e-mail e fique sabendo de tudo sobre o mundo dos eventos e hospedagem do Castelo de Itaipava

Shopping Basket
Dúvidas? Clica Aqui